Leia  também:

[Resenha] Donnie Darko


A possibilidade de um objeto passar da primeira para a quarta dimensão é uma circunstância um pouco incomum, porém não impossível de acontecer. Quando a normalidade cede espaço à instabilidade, vários fenômenos são automaticamente desencadeados. Um buraco negro se forma na primeira dimensão ameaçando sua existência. A desestruturação cria um Universo Tangente, uma espécie de universo paralelo, onde um Receptor Vivente é escolhido e manipulado por Viventes e Mortos Manipulados para consertar a alteração ocorrida entre a primeira e a quarta dimensão. O Universo Tangente tem prazo de validade e a primeira dimensão só volta à normalidade e é salva se o Receptor Vivente conseguir cumprir a sua missão.


Se você teve a oportunidade de assistir ao filme Donnie Darko, roteirizado e dirigido por Richard Kelly, provavelmente deve ter ficado com vários pontos de interrogação na cabeça, assim como deve ter ficado perdido ao ler o primeiro parágrafo desta resenha. Relaxe. Não precisa ficar frustrado. A introdução do texto foi justamente desenvolvida com a intenção de dizer muito e não explicar nada, tudo isso para mostrar mais ou menos como é assistir Donnie Darko pela primeira vez.



Donnie Darko consiste no primeiro filme do cineasta Richard Kelly. A produção cinematográfica, que passou por muitas provações, chegou às telonas em 2001, poucos dias depois do atentado às torres do World Trade Center, nos Estados Unidos. Com um roteiro complexo e recheado de teorias cientificas, a película ficou conhecida devido à sua complexidade e, principalmente, à sua possibilidade de múltiplas interpretações.


A intenção de Kelly, quando produziu Donnie Darko, era justamente romper com a tradição fílmica até então consolidada. Assim, ele desenvolveu um filme no qual o espectador assumisse um papel ativo, interpretando e dando sentido à história. Essa escolha do cineasta foi um dos responsáveis pelos inúmeros obstáculos enfrentados por ele na produção da película. Entretanto, a perseverança de Kelly de seguir em frente e não deixar se render às dificuldades fez com que Donnie Darko tornasse um dos filmes mais admirados e aclamados de todos os tempos.


A difícil compreensão lógica da película já foi capaz de bugar a mente de muitas pessoas, além de influenciar várias pessoas a desenvolverem diferentes interpretações. Mas acreditem, interpretar Donnie Darko não é uma tarefa fácil. Eu mesmo nunca conseguir chegar a uma explicação plausível. Para ajudar pessoas, como eu, a tentar entender o filme, a editora DarkSide Books publicou no ano passado um livro em que nos apresenta um pouco mais da história de Richard Kelly e da película, onde temos acesso ao roteiro final usado para a gravação do filme, e também nos traz uma pequena explicação sobre A Filosofia da Viagem no Tempo, escrito por Roberta Sparrow - uma das personagens da história.




















A edição publicada pela editora está graficamente incrível. Como já disse, o livro é dividido em três partes. Em um primeiro momento, acompanhamos uma entrevista dada por Richard Kelly ao Kevin Conroy Scott. O jornalista soube conduzir a entrevista muito bem. Assim, temos a oportunidade de conhecer mais sobre a vida do cineasta, bem como as intenções por trás da produção de Donnie Darko. Depois da entrevista, temos a possibilidade de ler o roteiro usado. Eu nunca tinha lido um roteiro antes. Achei uma experiência muito interessante.


Por fim, nos é apresentado uma pequena explicação da A Filosofia da Viagem no Tempo, parte crucial do livro, pois temos acesso a um esclarecimento de como funciona a teoria proposta por Roberta Sparrow. À medida que vamos automaticamente fazendo correlações com o filme, a história vai ganhando corpo e fazendo mais sentido. Lógico que precisa de um pouco mais de atenção, mas é possível fazer uma interpretação plausível do filme. Gostei muito disso, pois, depois disso, a película fez mais sentido para mim.

O livro publicado pela DarkSide é incrível. Recomendo a todos, principalmente, àqueles que até hoje não conseguiram tirar algum sentido lógico em Donnie Darko. A obra tenta trazer uma explicação para esse filme tão enigmático de Kelly e alcança esse objetivo com sucesso. Mas vale lembrar que ela não traz uma explicação definitiva, pois como vimos o filme foi desenvolvido para que o espectador criasse a sua própria interpretação.


Bem fica a dica. Se ainda não teve a oportunidade de assistir ao filme, assista. Se já assistiu e tem uma teoria, corre para conhecer e comparar a sua teoria com a apresentada no livro. Agora se você já assistiu e se encontra perdido, não perca a chance de ler o livro. Garanto que depois disso o filme vai fazer mais sentido.

Nota 4: INTERESSANTE

Informações adicionais

Autor: Richard Kelly

Tradução: Antônio Tibau

Editora: DarkSide Books

Ano: 2016

Páginas: 240

Assunto: Cinema/Filme de terror

Tipo de capa: Capa dura

#livroecinema #livros #Nota4 #Interessante

Sou jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Atualmento, faço mestrado de Comunicação na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp).

Sobre mim

Publicações recentes

Marcadores

Nenhum tag.

Trecho de livro

Tudo muda, penso. Esta é a única constante. Todos crescemos (trecho de O último adeus)

© 2016 por Leandro Brito. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now